Tomorrow never knows...

Tomorrow never knows...
It is not dying, it is not dying.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Segue abaixo, algo que escrevi no ano passado. Passado.

Indo e Vindo

Eu vejo as pessoas indo e vindo.
Vindo não sei de onde e indo não sei por que.
Vejo os ponteiros do relógio, agitados.
Vejo a vida passando, vejo filmes daquela saudosa infância.
Quero voltar no tempo para consertar os erros,
Quero acelerar o tempo para concretizar desejos.
Tenho andado pelos vales de tempos remotos, os tempos mais
longínquos da minha vida.
Caminho pela minha infância;
Sinto falta daquele doce gosto da inocência
Falta, daqueles dias sem preocupação.

Eu vejo as pessoas indo e vindo.
Vindo não sei de onde e indo não sei por que.
Vejo o presente. Vejo o amor na minha frente.
Amor incondicional, amor fraterno.
Vejo a amizade, os dias divertidos desfrutados.
Vejo a pressão. O vestibular chegando...a verdadeira hora de crescer.

Eu vejo as pessoas indo e vindo.
Indo para o céu (ou inferno), indo para longe de mim.
Vindo de algum lugar, ocupando espaços vazios.
Eu vejo a saudade, o amor, a amizade, a verdade, a pressão,
a despedida, o tempo, o futuro.
Eu vejo sonhos se realizando, vejo o tempo se desperdiçando...

Eu vejo as pessoas indo e vindo.
Vindo não sei de onde e indo não sei por que.

Nenhum comentário:

Postar um comentário