Tomorrow never knows...

Tomorrow never knows...
It is not dying, it is not dying.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Untouched.

Têm coisas acontecendo comigo que até eu desacredito. Minha vida deu mais uma puta volta e me fez parar bem aqui, agora. Fato que eu faço as coisas sem pensar, não me arrependo, mas causo feridas em mim mesma e em quem participa dos meus atos impensados e inoportunos.
Emocional e irracional. Uma doida de pedra.
Eu fico pensando cá com meus botões, se um dia eu vou ter uma sanidade normal, sem grilos, sem viagens, sem bobagens e sem as coisas que me enlouquecem. Penso que se isso acontecer, vai demorar um pouco. Tenho tanto que me ferrar pra aprender ainda.
Pensar antes de agir e ser mais consciente das coisas que eu faço. Preciso começar a me lembrar que não se dá um passo nessa vida antes de pensar...pensar se vale a pena. Pensar não vai me fazer deixar de ser espontânea, nem de ser eu mesma. Vai me fazer ser mais adulta, madura.

Aquelas palavras passando pela minha cabeça, me deixam até com a vista turva. Aqueles momentos passando pela minha cabeça, me fazem querer voltar no tempo e pará-lo. Eu deveria ter pensado, deveria ter pensado melhor. Me deixei ir pelo coração e tá aí o resultado. Eu aqui mais uma vez, dizendo que vou tentar melhorar minhas atitudes, mas ainda não tomei uma atitude forte o sufuciente pra isso.

O mais engraçado disso tudo, é que eu olho pra outros setores da minha vida e vejo que tá tudo bem e que sou feliz assim. Acho que só preciso de uns reparos.



"I feel so untouched.
And I want you so much
That I just can't resist you
It's not enough to say that I miss you."

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Don't regret.

Eu não me arrependo de nada. E olha que já fiz muitas coisas arrependíveis (?) ao longo dos meus
curtos 18 anos de vida. O que eu fiz e quando fiz, fiz com vontade, fiz com amor, fiz com felicidade.
Quando olho para trás, para o passado e para o passado que é semi-presente, eu vejo o quanto não tenho motivos pra me arrepender das coisas que faço. Eu já quebrei muito a cara, o meu coração e o coração de outras pessoas. Talvez disso eu me arrependa, de machucar quem amo. Mas não me arrependo de forma nenhuma de tê-los tido em minha vida. Eu percebi que vivo tudo muito intensamente e que aproveito tão rápido que de repente, tudo se modifica novamente.
A vida foi nos dada para que vivêssemos as emoções de tal maneira que não nos arrependamos do que nos acontece. Algumas coisas nos fazem pensar "se eu pudesse voltar atrás", mas não podemos e por isso continuamos vivendo, aprendendo e posso falar por mim que
quase nunca se arrependendo.
Eu não me arrependo de ter amado, de ter me apaixonado, de ter me entregado, de ter me enganado, de ter apanhado da vida, de ter chorado, de ter escrito vários textos sobre determinados sentimentos sobre determinadas pessoas...Tudo o que eu faço e fiz, faço e fiz com
SENTIMENTO. Por mais que às vezes eu mostre apenas meu lado egoísta e não demonstre o que eu realmente sinto, eu nunca deixei de demonstrar o quanto sou segura das conseqüências que meus atos podem acarretar.

Eu sou feliz, do jeito que sou. Sem arrependimentos.


Não se arrependa você também. A VIDA é muito curta para perdermos tempo nos arrependendo dela.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

So try to stop
Stop breaking hearts
Stop hurting souls
and hurt yourself.



Lucas Silveira.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Eu quero dar, tomar, fazer, mexer, quero ver isso acontecer
Eu quero ver, ser, o único que joga o jogo sem medos e arrependimentos
Eu quero conhecer você melhor do que eu me conheço
Eu quero sentir o fim, e curtir a consequência

Eu estou jogando o jogo
O único que vai me levar ao meu final
Estou esperando pela chuva
Para lavar quem eu sou

Eu quero mover, relaxar, quebrar a rotina , e ter isso tudo de volta
Eu quero ter o tempo de volta, e ir direto ao começo
Ser desconhecido e totalmente sozinho, perder o tipo que é por trás
Começar um novo jogar comigo mesmo e dar o meu melhor