Tomorrow never knows...

Tomorrow never knows...
It is not dying, it is not dying.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Alguém me devolve os velhos tempos?

Eu quero acordar para ir para a escolinha com a minha lancheira cor de rosa. Lá dentro teria pão com presunto e queijo e um suquinho ou uma maçã. Quero tomar quantas mamadeiras com leite e toddy quiser e chupar chupeta o dia todo (cheirando a fraldinha).


Quero as tardes na casa da vó Elza com todas as primas reunidas brincando de rouba bandeira. Quero as minhas primas preferidas em volta de mim, rindo.

Quero meu pai vivo, me levando na praça para alimentar as pombas e me fazendo feliz fingindo que era eu quem dirigia o Fusca.


Quero a minha vó Nanete viva, me levando na Pernambucanas e me pagando R$5,00 pra fazer massagem nos pés dela, me levando pra aula de Yoga e me ensinando sobre espiritualidade.
Quero a irresponsabilidade. Quero voltar a assistir Pica-Pau, Frajola e Piu-Piu e Tom e Jerry o dia inteiro. Quero meus shampoos, condicionadores e sabonetes do Snoopy de volta! Alguém viu o coelhão de pelúcia que eu ganhei em um Natal há anos atrás?

Alguém me devolve o colo da minha mãe quando eu tô triste? A comida dela quando eu tenho preguiça e as tardes de sábado vendo filmes?
Quero meus piolhos da 3ª série de volta e a minha mãe fazendo faxina na minha cabeça. Quero meus cachorros e meu hamster que morreram de volta!
Quero não ter que pagar conta, ser "alguém" na vida e me preocupar com futilidades. Quero voltar a não me preocupar com sobrancelha, cabelo e andar ranhenta, descalça e descabelada pela casa. Quero tomar banho de mangueira no quintal só de calcinha e andar por aí como se não houvesse amanhã.

Quero minha infância de volta, minha inocência e quero poder reviver os dias no "Gato Xadrez" (minha escola no pré), onde até aulas de culinária eu tinha.
Quero o mesmo irmão que eu tive quando tinha 3 anos e ele 10. Foi quando brincávamos de Jornal Nacional, telefone e ele me deixava com medo dos Gremilins. Agora ele não se importa nem consigo mesmo mais.
Quero não ter que votar, não ter que discutir sobre política, não ter que me explicar pra quem eu não quero.

Quero ter a liberdade de uma criança com os pés na terra, descobrindo novas sensações. Quero abraçar a minha mãe todos os dias e dizer que "eu te amo mamãe".


Quero ouvir meu vô Olegário tocando sanfona, meu pai cantando Gian e Giovanni e minha vó Elza fazendo mingau de milho verde e doce de leite pra mim.
Quero insistir mais pro meu vô Clóvis me dar o buggie roxo e brincar de novo comigo de serra-serra-serrador. Quero a minha vó Nanete me levando pra passear. Queria ter tido mesmo uma irmã mais nova, mas nossa convivência não existiu depois que meu pai morreu e agora moramos longe uma da outra.

Tantas coisas que ficaram para trás e nunca mais irão voltar...tantos momentos bons que eu gostaria de reprisar.
Eu só queria deixar o mundo adulto de vez em quando, ter uma máquina do tempo e voltar para os momentos mais lindos da minha vida.

Eu tenho que agradecer por ter vivido isso tudo. Pois me tornou o que eu sou hoje. Meio destrambelhada e distraída, mas feliz. Só queria passar mais um tempo com a minha nostalgia e depois voltar para minha vida real. Afinal de contas, a nossa criança interior NUNCA morre. Se ela morrer é porque nós morremos também.

domingo, 18 de abril de 2010

Kate Nash - Mouthwash

Este é meu rosto coberto de sardas com uma ocasional espinha e algumas veias.
Este é meu corpo coberto de pele e nem todo ele você pode ver.
E esta é minha mente ela repete sempre as mesmas falas. E este é meu cérebro seus pensamentos analíticos torturantes me
levam à loucura.

E eu uso enxagüe bucal às vezes eu passo fio dental. Eu tenho uma família e eu tomo xícaras de chá.
Eu tenho calçadas nostálgicas, eu tenho rostos familiares, eu tenho uma memória confusa e eu tenho lugares prediletos.

Este é meu rosto, eu tenho mil opiniões e não o tempo para explicar. Este é meu corpo, não importando o quanto
você tentar desativá-lo, sim, eu ainda estarei aqui e esta é minha mente. E apesar de você tentar violá-la, você não
consegue isolá-la. E este é meu cérebro. E apesar de você tentar me impedir não há nada que você possa obter, porque
eu uso enxagüe bucal.

Estou cantando oh-oh numa sexta à noite e eu espero que tudo vá ficar bem.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

A mágoa.

Eu não quero saber da sua vida. Não quero saber o que estava vestindo ou o que comeu hoje. Não quero nem se quer saber se está bem ou não.
Eu não quero saber se os teus dias têm sido longos ou curtos. Se tens pensado em mim como pensou algum dia.

Eu quero sentir o sabor da minha vida. Eu quero saber o que me interessa e correr atrás do que me faz bem. Eu quero fazer um futuro maravilhoso à partir do que colho no presente.

Não sou infeliz como você e nem incapaz. O que você sabe fazer? Você sabe destruir o que é bom. Assim como destruiu todas as chances que tinha de eu te perdoar mais uma vez. Família, a gente realmente não escolhe! Se eu te conhecesse antes de nascer e pudesse escolher, jamais te escolheria para ser meu parente.

Você jogou fora todas as chances de ser feliz e de ter pessoas que se importavam contigo do teu lado. E agora? Agora eu não estarei mais no mesmo lugar que você e se puder desviarei ao te encontrar.
Você não merece tudo o que teve, pois nunca soube valorizar. Mas é sempre assim mesmo...só que ao invés de você valorizar depois de ter perdido, você simplesmente insiste em perder coisas que você nem tem mais.

Se você morresse amanhã, falta não me faria e sim me aliviaria.
Pode parecer pesado e rude tudo o que escrevo, mas é só um desabafo.

Você destruiu até o nosso laço de sangue. Nunca mais venha me dizer que sou sua irmã querida e que faz tudo por mim, porque para mim você não existe mais.

terça-feira, 6 de abril de 2010

Eu.



Eu sou uma pessoa sonhadora, mas a mesmo tempo realista. Eu gosto das coisas justas e posso ser muito chata ao defender uma opinião. Sou um tanto impaciente e posso ser muito generosa. Gosto de ajudar e não gosto de ver as pessoas infelizes perto de mim, me deixa realmente mal.

Eu sou uma pessoa que ama intensamente, vive intensamente e acho que vou morrer de tanta intensidade qualquer dia desses!
Sou rancorosa e posso ser vingativa, depende de quem me ferir e do meu humor no dia. Ou vou querer te matar, ou vou apenas chorar.
Tenho muitos objetivos a alcançar e quero muito ser alguém um dia.

Minha cor favorita é azul. Amo os animais e a natureza (pretendo ser vegetariana um dia). Não gosto de serviços domésticos e preciso de um emprego. Sou viciada em batata, se pudesse comeria o tempo todo! Adoro frita, assada, cozida, purê...Batata é VIDA!



A coisa que eu mais prezo na vida são meus amigos e tudo o que puder (e não puder) fazer para ajudá-los eu farei!
Virei revendedora Avon (precisando, estamos aí ;D) e espero prosperar.
Sou viciada em internet e sou um tanto preguiçosa. Acho que é por isso que me considero desinformada, fico no msn, orkut, twitter e esqueço do que é importante.

Sou muuuuito mutável. Sempre mudo o cabelo e uso roupas de estilos diferenciados todos os dias. Não gosto de rotina. Quero aumentar meu alargador e colocar mais piercings. Além das tatuagens!

Quando bebo fico muito sensível e sou capaz de chorar a noite toda, mas na maioria das vezes eu fico mais sociável que o normal e falo que todo mundo é bonito. Nunca vomitei ou tive ressaca, no máximo uma dorzinha de cabeça passageira no dia seguinte.

Eu sinto MUITA saudade de muita gente e de muitas coisas. Mas as lembranças que tenho delas estão para sempre dentro de mim.



Eu encontrei o meu amor do destino sentado por aí e hoje agradeço muito por ter trombado com ele naquele dia sem noção. Não há nada que me faça mais feliz do que ver o sorriso em seu rosto e sentir seus braços me envolvendo. Eu gosto de estar. Eu amo poder ficar.

Quero fazer inglês, espanhol, francês, italiano, alemão e quem sabe mandarim! Acho francês a língua mais sexy do mundo!
Espero viajar MUITO pelo mundo e conhecer, conhecer, conhecer tudo o que eu puder.

Ai, chega. Cansei de mim mesma. Geminianas falam demais, escrevem demais, pensam demais...mas eu me orgulho e gosto de ser assim, tão diferente.