Tomorrow never knows...

Tomorrow never knows...
It is not dying, it is not dying.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Tropeço.

Não, não é aquele gigante da Família Adams. Sou eu. Sou um tropeço.
Se parar para pensar eu realmente tropeço em tudo. E claro, todos os dias. Tropeço na rua, na faculdade, em casa, parada e até em mim mesma. Tropeço nos meus afazeres, nas minhas vontades e tropeço em palavras, constantemente.

Sigo tropeçando sem cair. Até quando? Eu não sei.
Já tropecei em amizades, amores, saudades e acasos. Tropecei no meio de um sonho e acordei assustada pensando que estava caindo da cama.
A minha vida é tropeçar. Eu não sei andar de salto alto e tropeço de chinelo.
Eu tropeço em pessoas. Já tropecei em pessoas boas e outras nem tão boas assim. Mas pelo menos não caí.

Eu tropeço muito nas minhas ideias confusas e inconstantes. Eu tropeço em fios de nylon invisíveis pelo caminho, deve ser isso. Mas tenho sorte, pois ainda não caí. E se cair? Do chão não passa.

Meus tropeços me aceleram o coração e a cada um deles eu me sinto acordada. No final das contas, tropeçar não é algo ruim para mim. Até tropecei em um espelho e foi ele quem me deu uma ótima ideia: escrever sobre o tropeço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário