Tomorrow never knows...

Tomorrow never knows...
It is not dying, it is not dying.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Um passo de cada vez, para que não haja quedas. Alguns tropeços com certeza, mas me segura que eu te seguro também.
É hoje um novo dia e é o que a gente tem. As coisas irão suceder com tranquilidade e muita calma. Vamos lá, quero ver a coragem para se entregar de corpo e alma. Pode ser que não aconteça. Se não for, talvez a gente não mereça.
Os vínculos se estreitarão daqui pra frente, você sabia? Talvez eles desatem, talvez eles se apertem, talvez eles só estejam vivendo o momento presente sem pensar que o amanhã pode nem chegar.
Sinto como se lesse uma nova página de você a cada dia. Mesmo que sua vida não seja um livro aberto, mesmo que não seja uma página inteira, é um trecho. Sinceramente, talvez eu não gostasse de ler um livro tão complexo, parece até ser de suspense. Para nossa sorte (ou azar) eu me atraio pelas coisas difíceis, de verdade. É que nunca nada foi tão fácil pra mim. Pelo menos é o que eu acho. E suspense é bom. Me estimula, me deixa curiosa e com sede.
São muitas diferenças, gritantes eu diria. Complementares? Vai saber. Como eu disse no início, um passo de cada vez, para evitar as quedas. Tropeçar é inevitável, eu tropeço sempre, todos os dias. Tropeço ainda mais quando penso incessantemente em coisas que eu deveria relevar.
Só sei que eu quero. Quero os passos lentos em direção do lugar que nem sabemos qual é. Quero um dia comum cheio de risadas e o sol batendo na cara. Quero que você me segure se eu for cair. Quero ler e reler esse livro tão interessante. Descobrir cada detalhe, cada mistério e conhecer o que for possível.
E se eu tropeçar e cair na minha ansiedade, não se assuste, eu sou assim mesmo. Eu não quero que ninguém se machuque. Muito menos você. Então, se tropeçar, eu te seguro também. Posso parecer fraquinha pelo meu tamanho, mas eu desconheço a minha força em casos de necessidade. Só sei que ela expande muito mais do que possamos imaginar.
Um passo de cada vez. Um barquinho indo lentamente pra qualquer lugar. E nós. Caminhando, tropeçando, lendo e escrevendo novas linhas, novos capítulos. Porque hoje é um passo, amanhã pode ser mais de um ou nenhum...ou eu talvez só esteja aqui enchendo lingüiça e agora eu fodi com o meu texto porque eu sempre acabo fazendo isso quando estou morrendo de sono e não sei mais o que escrever e poetizar...Mas é isso aí.

Um comentário:

  1. Você não fudeu com o teu texto coisa nenhuma. Ele tá maravilhos!

    Me identifiquei horrores!

    *bjoO!
    =]

    ResponderExcluir