Tomorrow never knows...

Tomorrow never knows...
It is not dying, it is not dying.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Tempo.

Isto se chama tempo. É a areia da ampulheta descendo devagarinho contando cada segundo. Parece lento mas passa num piscar de olhos e quando você vê já está empacotando as coisas para ir embora.
Olha só essas paredes que desmoronaram. A tinta que escorreu foi suficiente para notar que a mudança era necessária.
Nós temos com quem e aonde ir, é só deixar que a vida nos leve. Depois de ver todas as caixas arrumadas e o tempo as levando para outro lugar vai aflorar uma satisfação.
Agora eu sei que as paredes que ficaram para trás e perderam suas escritas tão significantes, estão bem. Porque o tempo delas já passou. A areia delas já se esgotou.
E isso vai girando e acontecendo tão rápido que eu nem vejo se você chegou ou saiu.

Isto se chama tempo. É do que precisamos. Agora e sempre ele pode aliar-se a nós ou virar o nosso pior inimigo. É porque ele nunca deixa de ser voraz. E é só ele quem vai dizer o novo passo para frente e como é importante não ficar andando para trás. Passado é passado e o tempo já se encarregou.
Presente é isso. Presente é esse tempinho que eu tirei para escrever. Futuro eu já não sei, só sei que passa tão rápido quanto um cometa também.
O tempo correu agora e eu já vou embora. Estou em busca das caixas e logo vou ver o tempo mudar mais uma vez. Acho que ele gosta de mudar comigo.






Foi a Xu que fez *-*. Ficou linda Mô, amei! <3

Um comentário:

  1. =].. belo texto...
    o tempo muda!
    muda o tempo todo....
    e bela tatto...

    ResponderExcluir