Tomorrow never knows...

Tomorrow never knows...
It is not dying, it is not dying.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Mais uma vez eu venho aqui neste lugar para desabafar.
A garganta dói toda vez que eu engulo ou que forço para que meu choro saia inaudível.
Meus dias têm sido repetitivos e um tanto quanto dolorosos. Eles não me dão resposta. Eu quero deixar de me deixar levar por essas coisas ruins e só pensar em coisas boas, mas ultimamente só acontece merda atrás de merda.

Aos olhos alheios isso é uma grande dramatização. Não é. E se você acha que é, vai tomar no seu cu porque você não sabe de absolutamente nada.
Hoje o meu dia no trabalho foi mais estressante que o normal e meu corpo dói. Isso é resultado da chuva que tomei ontem. A dor de garganta e a febre durante a noite também.

NÃO AGUENTO MAIS.

Não aguento mais não obter as respostas que preciso. Não aguento mais um monte de gente enchendo meu saco o dia todo. Não aguento mais um monte de críticas. Não aguento mais viver desse jeito.
Eu quero paz. Quero só paz. Não pensar em nada, não sofrer por nada e não esperar nada de ninguém.
É por isso que eu acho que a gente deveria poder congelar o coração de vez para não ter mais nenhum empecilho. Porque sempre começa por ele.

Eu estou saturada até mesmo das minhas lamentações. Saturada de ficar mal. Ficar bem é coisa rara. Ficar bem é algo inexistente. E inexistente é o que eu queria ser agora.

domingo, 26 de setembro de 2010

Juro que não entendo por que me deixo levar por situações que me incomodam.
Gostaria de entender por que eu ainda me sujeito a esse tipo de coisa. É como se a minha função fosse uma só. E eu prefiro não citá-la.

Grande coisa se existem dias diferentes, no fundo a intenção é sempre a mesma. Eu estou cansando de viver deduzindo cada passo. Cansando de viver deduzindo cada próximo movimento. Só deduzo, porque nunca sei o que vai acontecer e sei que pode mudar rapidamente.

O foda é que eu não quero deixar passar. Aí eu vou lá e insisto mais um pouco. Cada dia um pouco mais. Se continuar como está, não sei. Posso tanto continuar até o fim, como posso desistir de repente. Não seria muito valente da minha parte, mas seria inteligente.

Só o que eu quero é saber o caminho. Não importa se vai ser certo ou errado, só quero saber se é esquerda ou direita, dá pra entender?
Mas me disseram para não ser tão ansiosa. Para ter paciência. Engraçado que no meu lugar, ninguém se coloca.

Mais uma vez, tudo bem. Vai passar. Vamos esperar mais um pouco pra ver o que acontece. Espero não cansar no meio do caminho e acabar deixando tudo pra lá.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Um monte de deduções. Um poço completo até a boca, de insegurança. Falta coragem. Coragem para saber se é sim. Coragem para aceitar se for não. Já percebi que não é de um lado só, é dos dois. Então vamos deixar esse monte de ilusões, deduções e situações imaginárias pra lá! Eu e você sabemos que pode dar certo. Talvez só precisemos de mais tempo...pois não precisaríamos de mais nada se tivéssemos um ao outro.

domingo, 19 de setembro de 2010

Hole.

Dentro de mim existe coisa demais. Mas existe um buraco tão grande, que acaba cabendo tudo e um pouco mais.
Como em alguns dias de manhã em que acordo antes de você, e você está dormindo com a cara amassada e todo torto. Me dá vontade de arrumar sua coberta e te beijar a testa. Aí você abriria os olhos, sorriria e voltaria a dormir feito um anjo.

Me dá vontade de desistir. Encontrar uma válvula de escape e fazer vazar todo o desejo e toda esperança de que algum dia o vazio seja preenchido por você. Assim como me dá vontade de te pegar às vezes, e te encher de sopapos. Juro que tem hora que você merece um puxão de orelha. Mas infelizmente, não sei porque, só consigo ser boazinha com você.

Só falta eu sair por aí gritando que dentro de mim estou clamando por sua presença. É que eu gosto muito dela. Me sinto bem se está por perto, se atende as minhas ligações e se passa o dia dormindo e depois ajuda na cozinha.
E todas as vezes que te olho de longe, fico pensando em como seria se tudo fosse diferente. Em como seria se eu pudesse tomar todas as atitudes que tenho vontade quando estou perto de você. Fico imaginando como seria bom se fosse real o que tem passado na minha cabeça. E como seria a melhor coisa do mundo, termos segurança.

Não desisti por medo de fazer a coisa errada e deixar passar a chance. Não desisti por medo de perder as ilusões que eu já alimentei. Mas é tão difícil tentar sozinha. Tentar sem saber se é isso mesmo ou se esse esforço é vão.
Queria acordar amanhã, com você do meu lado. Olharia para você todo torto, te cobriria direito e encheria você de beijinhos matinais. Aí acordaríamos e você me faria um café bem forte. Sem contar na quantidade certa de açúcar...

As coisas estão acontecendo sem rumo. As coisas estão andando e eu não estou sabendo lidar com muitas delas. E amanhã elas já mudaram de novo. Só queria você por perto mais um pouco. Juro que não vou te atrapalhar. Mesmo que em silêncio, me faz companhia?

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

"Quando a mulher de gêmeos põe fim às ilusões da sua vida e pára de viver na escuridão da fantasia, ela emerge com o brilho, a velocidade e a graça de uma estrela cadente."

Tiê - Stranger But Mine

Estava ouvindo Tiê e prestei atenção em uma letra. É linda. É real.


http://www.youtube.com/watch?v=_sCYmsMNdSI&feature=fvst


Bem Estranho,eu não sei nada.
É melhor eu tomar um tempo, neste momento. Eu sei que você disse, mas me desculpe:
quero resolver isso.
Todos os meus amigos são também seus amigos e isso faz de você menos estranho.
E o seu nome eu ouvi em algum lugar, mas ainda quero resolver isso.
Com todo respeito, seus beijos me deixam louca. Mas não se preocupe, vou manter meus olhos em você.
Por que é que isto é tão estranho? Eu sinto que lhe conheço há anos.
Você pode dormir, só manterei meus olhos em você. Eu já estou feliz que te conheci.
Gosto de ver vida de seus olhos. Não importa o que nos aguarda: vou lidar com essa surpresa.
Apesar de saber que você tem muitas coisas em sua cabeça: o futuro, o passado e os aviões em que você poderá viajar, eu só quero te contar, esse amor é verdadeiro. Você é estranho, mas é meu.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Botão

Alguém aí me vê um botão pra colocar sobre a pele e clicar toda vez que quiser desligar?

Desligar do mundo, desligar das chateações e das obrigações que tanto pesam na mente. Desligar das dores do coração, das vontades que não se concretizam e de todas as outras coisas que podem machucar, mesmo que de leve.
Desligar a tristeza infundada que chega sem avisar e não diz por qual motivo está se alojando no meio de tudo.
Desligar o desânimo constante, que se estampa na cara desde o momento em que se acorda até o momento em que vai dormir.

Alguém aí me vê um botão pra colocar sobre a pele e clicar toda vez que quiser desligar?

Desligar a tv daquele canal ruim, é fácil. Desligar o rádio quando toca Restart, também é fácil.
O que tem sido difícil, é desligar as coisas ruins que acontecem. É desligar a falta de vontade. É desligar as más ideias. É desligar simplesmente essa não-aceitação de mudanças repentinas.

Isto precisa passar. PRECISA MESMO.

sábado, 4 de setembro de 2010

Labirinto

Você é pior que o labirinto do Minotauro. Nem com novelo de lã de ouro pra encontrar a saída né? Sem contar os nós que se enrolam e confundem ainda mais no meio do caminho. Não sei de onde vem tanta paciência. Mas já me encontro caída e toda enrolada com a porcaria do novelo que não me adiantou nada. Só andando em círculos igual a uma idiota. Você deve achar bonito isso, mas vai chegar uma hora (e ela está chegando) em que eu vou pegar minha tesoura e cortar esse novelo idiota. Aí eu saio desse negócio enrolado e sem tipo.

Chega. Estou sentindo fadiga, tontura e cansaço. E a minha cara de idiota então, nem se fala.