Tomorrow never knows...

Tomorrow never knows...
It is not dying, it is not dying.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Não tenho responsabilidade

Às vezes eu sou tão irresponsável quanto poderia imaginar um dia na vida. É que viver no mundo adulto e real, é mesmo difícil. Trabalhar/estudar/morar longe da família. Complica um pouco quando a sua mãe mora longe o suficiente pra não te ver por uns 6 meses.

Eu quero continuar fazendo coisas 'fora da lei' e fazer minhas próprias regras, mesmo que depois eu tenha que arcar com alguma consequência desagradável. Faz parte da vida.
Quero ser uma pessoa que tenha histórias impressionantes para contar. E eu sei que já tenho várias.

Em tão pouco tempo, somos capazes de viver coisas que nunca imaginamos que poderiam acontecer conosco, mas acontecem. É desprevinido e inoportuno. Mas também faz parte da realidade do ser humano.

É que nessa idade, só existe o êxtase. A sede de liberdade da juventude. A vontade de voar e não pensar se o amanhã vai chegar.
Mas isso passa uma hora. Pesa a falta de emprego, a vida sem perspectiva e as faltas às aulas.

É mesmo difícil deixar de ser criança, mesmo que tenha muitas partes boas em ser 'gente grande'. Criança não tem responsabilidade, assim como eu. Mas a irresponsabilidade deles é perdoável. A minha não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário