Tomorrow never knows...

Tomorrow never knows...
It is not dying, it is not dying.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Onde ninguém comum jamais veria






Tantas coisas que eu quero
que eu entendo, que eu espero
Tantas coisas que eu vejo
Meus desejos

Revendo meus conceitos
Sonhos, defeitos
Conhecendo meu jeito
Desfazendo preconceitos

Sentindo falta de um
preenchimento
no fundo do peito
Como se o espaço vazio
Estivesse confuso demais
para ser habitado outra vez

Entrando no eixo
Encontrando o equilíbrio
Enxergando além
Tornando real

Aprendendo a viver
uma nova vida
E vendo coisas que jamais veria
se tudo não tivesse mudado

Obrigada, por todo aprendizado
Por tudo que me é designado
Por me sentir em casa
Por me sentir mais forte

Vivendo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário