Tomorrow never knows...

Tomorrow never knows...
It is not dying, it is not dying.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Breve devaneio.

Deitada na areia. As árvores movendo-se despreocupadas. A brisa em minha pele úmida e salgada de mar. Respiro. De olhos fechados enxergo cenas intrigantes em minha mente. Coisas reais, outras nem tanto.
Me levando. As costas em perfeita postura. Reverencio o mar e entro novamente em sua água gélida. À medida que mergulho, outros sonhos me vêem tão vívidos. Pareço me esquecer que estou embaixo d'água, consigo até respirar da mesma forma. Aproveito e viajo mais fundo.
Tantas cores, tanta vida. Sinto o amor, a paz e a gratidão me preenchendo a cada nova cor e ser que vejo. Os raios do sol tocando a areia lá no fundo, as algas. Toco tudo, sinto tudo. É mais do que apenas ver, é enxergar com o coração, tocar com a alma.
Sentir-se vivo. Sentir-se parte de algo maior. Sentir-se completo.

Saindo das águas com a nova promessa de vida, com o novo pulsar que irradia. Andando de pés descalços em todo e qualquer lugar. Sentindo a vibração da terra. Sentindo tudo. Ao pôr-do-sol uma prece. Um desejo. Algo que valha mais do que todas as palavras que foram e serão ditas.

E ir leve, tão leve e livre. Aonde for.

Nenhum comentário:

Postar um comentário