Tomorrow never knows...

Tomorrow never knows...
It is not dying, it is not dying.

terça-feira, 26 de junho de 2012

Não é

Prender-se.
Em si. Em ti.
Em mim.
Perder-se.
 Por si.
 Por ti.
Por mim.
Não é contraditório sentir-se livre quando se prende/perde?
 Apoderado pela contrariedade das amarras postas.
 Impostas. Opostas.
 Não é esperto deixar-se levar por tal prisão.
Tal como não é esperto engolir o amor de uma só vez.
Transformando-o em gula, em monstro, em prisão e perda.
 Não é que eu tinha tantas coisas pra te dizer?
...mas as palavras escorrem,
esvaem, evaporam entre meus dedos nervosos.
 Olhos cansados.
Não me olhem desse jeito.
É como tem que ser.
 O que não parece fazer sentido agora,
o que não tem parecido real...
bom, depende de como você enxerga seus sonhos.
 Se pode tocá-los,
então sabe mesmo onde quer chegar.
E vai.
 Não é necessário prender-se/perder-se.
 Encontrar-se/te - viver.




  Stay with me, don't want to be alone.

Nenhum comentário:

Postar um comentário