Tomorrow never knows...

Tomorrow never knows...
It is not dying, it is not dying.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

I thought of you

O rosto dela enterrado no seu ombro, dizendo coisas que não pude ouvir.
Talvez, se pudesse, também não conseguiria entender.
Um abraço. Alguns segundos que demoraram muito. 
Caminhando na mesma direção, com gestos significativos. Ou não.
Eu penso o tempo todo, naquelas cenas se repetindo.
Dos teus olhos no meu corpo, sorrindo.

Como depois de todos os sonhos, some tudo.

Eu pensei em você por um breve momento ao acordar
e sentir seu cheiro no travesseiro.
E houve aqueles minutos em que houveram ofegos, afagos,
amassos...
E todo nosso sexo, algo assim, sem nexo.
Eu te entendo e você a mim, não sei como, mas é assim.
Embora eu veja, você com ela. Entenda, você e ela.
Como pode ser? Como poderia?
Não sei.
Nada sei.

O que na realidade importa
é que penso em você quando estou fora de órbita.
E quando está presente, é pra onde eu vou. E
você junto.
E eu sinto muito que a realidade seja tão surreal,
mas é o que temos a oferecer por hora.
Obrigada.

E os dias passam em silêncio até o próximo
encontro, próximo sonho.
Que será? Será real? Sonho? Não sei.
Ao passo que sonho/vivo/vejo/penso/sinto
não sei de mais nada.

E como iria querer outra coisa na vida
a não ser vir aqui agora, pra te dizer,
que hoje, pensei em você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário