Tomorrow never knows...

Tomorrow never knows...
It is not dying, it is not dying.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Tive um sonho

Essa noite eu tive um sonho
Difuso, confuso
São cenas reais demais
E assim não sei
se realmente sonhei

Com os cabelos
e coxas grudadas
Com os olhos,
órgãos em chamas

Hoje vi a sua silhueta
na minha cama
Me deixou sem reação
Só bater do coração

Era você chegando perto
Suas mãos direcionadas
Meus olhos se fecharam,
quando abri, seu sorriso.

Tudo iluminou-se;
Em teus braços
Meus braços
Nossos braços
Descanso.

E fora um sonho
tão real.
Mas quando acordei
na cama, só tinha eu
Em volta, só tinha o breu
e você, nunca esteve aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário