Tomorrow never knows...

Tomorrow never knows...
It is not dying, it is not dying.

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

O que eu queria hoje; o gosto dos seus olhos na minha pele.
O que eu queria hoje; o cheiro do seu beijo na minha boca.
O que eu queria hoje; o tato do contato da sua mão na minha.
Eu nunca saberei quanto tempo isso vai durar.
Esse desejo, que vem e desatina sem pensar.
Não é eterno, pois nada é.
Mas é verdadeiro, pois tudo é.

Nenhum comentário:

Postar um comentário